Educação Ambiental – Permacultura Urbana

 Consultoria – Cursos – Palestras – Oficinas

Produção de Conteúdo Institucional

Estudos e Viabilização de Projetos Ecológicos

Publicações Disponíveis

Anúncios

Campanhas de Ecologia e Sustentabilidade para Formar Um Mundo Melhor

Nas postagens abaixo a Pra Melhor Ambiental apresenta as suas Campanhas de Cidadania Ambiental com o objetivo de fomentar ideias e inovar atitudes para abalar os atuais hábitos da sociedade de consumo, pois acreditamos que se cada um fizer a sua parte é possível construir um mundo melhor.

Conheça – Pratique – Compartilhe – Divulgue

Mude você que o mundo melhora!

Campanha PMA – A Garagem Não Armazena Água

A garagem não armazena águaCAMPANHA A GARAGEM NÃO ARMAZENA ÁGUA

Os códigos de obras e edificações das cidades devem se adequar com muita urgência às boas regras das construções ecológicas.

As normas sobre o uso do subsolo em construções de edifícios não permitem a captação da água para abastecer o lençol freático. As regras dos recuos obrigatórios da parte aérea não se seguem no subsolo. Todo o terreno é usado para que os cidadãos possam estacionar os seus automóveis. O petróleo um dia acaba e podemos viver perfeitamente sem ele, mas sem a reposição da água no lençol freático, ficaremos sem reservas às próximas gerações.

Cada um de nós pode e deve ajudar na mudança destas leis exigindo das autoridades as reformas e adequações necessárias. Prefira imóveis que respeitem a permeabilidade do solo. Se tiver que mudar de casa e a sua única alternativa for apartamentos, então prefira as construções já existentes para evitar a perda da permeabilidade das obras novas.

Ser sustentável é conhecer o todo e agir nos detalhes. O futuro é nosso e está em nossas mãos, se conscientize, exija mudanças e não deixe que as ambições do mercado imobiliário produzam mais catástrofes.

Campanha PMA – A Lixeira Ecológica

A lixeira ecológicaCAMPANHA A LIXEIRA ECOLÓGICA

Vamos eliminar o uso de sacolas plásticas nas nossas lixeiras substituindo-as por sacos de papel jornal.

Faça sacos de papel dobrando uma folha de jornal, sem cola e sem grampos. A decomposição dos sacos feitos com folhas de papel jornal é mais rápida e menos nociva aos aterros sanitários. O uso do saco de papel jornal na lixeira da cozinha (descartes úmidos) deve ser feito com redobrada atenção, o mais aconselhado, e a melhor atitude, é fazer a compostagem caseira com minhocários domésticos.

Para receber as instruções gratuitas, de como fazer um saco de lixo usando uma folha de papel jornal, basta enviar um e-mail com a seguinte frase: “Eu quero aprender a fazer um saco de papel jornal” para o endereço: cursos.pma@gmail.com

Se cada um fizer a sua parte o mundo melhora!

Campanha PMA – A Necessidade do Resgate

A necessidade do resgateCAMPANHA A NECESSIDADE DO RESGATE

Cultura Nativa: cultura é a somatória do conhecimento produzido, armazenado e vivido por cada povo, em especial, o nível de entrosamento destes com a Natureza. Todas as populações indígenas tribais ou tradicionais (regionais), que ainda cultuam os costumes ancestrais, e interagem pacificamente com o ambiente, devem ser reconhecidas como as civilizações mais adiantadas e melhores adaptadas para viver no planeta. Estes modos de vida são erroneamente taxados como rústicos e neles estão as chaves da evolução. Quando se compreender a essência destas tradições o nosso sistema atual será reescrito.

É fundamental resgatar a história, as antigas culturas, e os seus modos de vida harmônicos com a Natureza, porque neles estão as bases da construção do futuro.

É importante unir o planeta incorporando toda a riqueza, valores e cultura regionais, pois só há unidade na diversidade.

É urgente para o mundo hoje retornar a sua emissão de carbono e gases do efeito estufa aos níveis de décadas passadas para sonharmos com um futuro.

É necessário recuperar o modo de vida não dependente do petróleo, para continuarmos prosperando.

Retornar não é retroceder!

Campanha PMA – Ação e Reação

Ação e reaçãoCAMPANHA AÇÃO E REAÇÃO

O PACÍFICO PODER DA ESCOLHA 

Reza o senso comum, que para ser ecologicamente correto, basta assinar petições contra as obras impactantes sobre o meio ambiente e listas a favor das florestas e proteção dos animais. E também, levar suas sacolas de pano ou lona às compras, economizar água e energia elétrica, reciclar e plantar árvores. Mas ecologia é muito mais do que estas poucas atitudes. Ser ecológico é estar desperto para a vida, é estar consciente do todo, de como funciona o sistema, de observar as particularidades locais, de se identificar com a sua região, e de forma racional agir com o menor impacto ambiental possível.

Muitas empresas estão aderindo práticas ecológicas na sua produção. A maioria por força de lei, outras para lucrar neste novo nicho de mercado e algumas de forma consciente. Mas todas investem para colar um ‘selo verde’ na marca e gastam muito mais dinheiro na divulgação e propaganda.

O cidadão comum pode fiscalizar facilmente se estas empresas são ou não sustentáveis na prática. Basta verificar se a publicidade ‘verde’ da marca é compatível com o seu modo de produção, em especial, os ingredientes das suas formulações. Por exemplo, uma marca de alimentos ‘ecológica’ não pode usar nas suas receitas produtos não orgânicos. Outro jeito direto de verificação do grau de comprometimento das empresas é conhecer os carros de seus executivos, porque qualquer que seja o veículo, se não houver uso compartilhado e motor de até 1.400 cilindradas, denuncia a total falta de maturidade ecológica.

O status social da sustentabilidade está no engajamento consciente e na prática sem esperança de reconhecimento, e antiético é querer lucrar com a imagem de ‘bom moço’. A ecologia só é verdadeira se arraigada nos alicerces interiores e não na ostentação exterior. A solução pacífica do consumidor é usar o seu poder de escolha, preferindo produtos oriundos da produção mais limpa, das relações sociais justas e das práticas do comércio local.

Campanha PMA – Banco de Materiais

Banco de materiaisCAMPANHA BANCO DE MATERIAIS

Vamos guardar e reaproveitar os descartes de obras e reformas

Quanto material é desperdiçado em obras novas ou reformas em geral? No Brasil os orçamentos são calculados levando-se em consideração que aproximadamente 30% dos materiais serão perdidos. E também, entre outros exemplos, quantas vezes o consumidor é obrigado a comprar um metro de cano para só usar dez centímetros? Um banco de materiais pode gerar uma economia enorme.

Instale um banco de materiais em seu condomínio com os descartes das obras e reformas. Recolha e guarde em um depósito  madeira, telhas, tijolos, pregos e parafusos, restos de tinta, canos e Triture o entulho para fazer areia ou base de piso permeável.

Vamos exigir leis obrigando a formação de bancos de materiais para uso próprio e/ou abertos, com distribuição à comunidade, pelas empreiteiras, incorporadoras, construtoras e outras empresas da área.

Vamos extinguir a cultura do desperdício!